Dom Paulo Evaristo, Cardeal Arns, obrigado.

O Meac deve muito a Dom Paulo

No inicio do nosso grupo, 1971 quando ainda se chamava CCC Comunidade de Comunicadores Cristãos, só em 1977 passou a chamar-se Meac, Dom paulo deu muito apoio aos fundadores, incentivou muito para que houvesse uma organização oficial e ligada a Igreja. Determinou na época que, o futuro bispo, Dom Lucas Moreiras Neves acompanhasse o grupo como o primeiro diretor espiritual.

Dom Paulo acompanhou sempre de perto e fazia questão de lembrar quando nos encontrava “eu sempre apoiei o Meac”.

Estar com ele sempre foi um momento de graça, pois tinha sempre sua palavra de esperança.

Nos momentos mais difíceis do nosso grupo sempre nos defendeu. Certa vez Ines e eu fomos chamados na Assembleia Regional dos bispos para dar explicações sobre a renúncia de um dos nossos missionários que provocou um escândalo na época. Eu visivelmente abalado, estava muito constrangido diante da situação. Ele percebeu, pois me conhecia muito bem. Tomo a palavra e disse que acreditava no nosso trabalho, e convidou a Ines para falar. Ele disse “as mulheres são muito mais fortes que os homens”. E a Ines naquela hora, certamente movida pelo Espirito Santo falou com serenidade o que estava acontecendo com o grupo. Eu não tenho dúvidas, foi o maior tempo que a Ines falou em público de toda sua vida, e diante de dezenas de bispos. Todos sabem que ela não era mulher de falar, seu dom era outro, o da oração. Mas neste dia foi a salvação do Meac, Graças a Dom Paulo Evaristo e alguns outros bispos que também nos defenderam e apoiaram naquela hora.

A convite de Dom Paulo passei a frequentar as reuniões de administração da Cúria Metropolitana de São Paulo por alguns anos, sendo depois responsável pela contabilidade de toda a arquidiocese pelo nosso escritório.

Em muitos encontros de pastoral tive a oportunidade de estar com Dom Paulo, bebendo da fonte como tantos outros leigos. Ele tinha um carinho especial por nós missionários do Meac. “Meu missionário” Esta era sua expressão carinhosa.

Certa vez o convidei para participar numa reunião da nossa comunidade, na favela da periferia de São Paulo próximo a Interlagos, no Jardim das Imbuias. Ele aceito e chegou por volta das 20:00 conforme programado. Ficou conosco até aproximadamente às 23:00. Falou, ensinou, ouviu. Na despedida disse: “devo confessar que hoje quando cheguei em casa para o jantar, depois de muitas reuniões durante o dia, de receber várias delegações internacionais, cansado pensei, mais uma reunião...mas agora vejo como teria sido uma pena se não viesse”. Jamais esqueci aquelas palavras. Como nunca esqueci quando disse que todos os dias ao acordar ia na janela e fazia um grande sinal da cruz abençoando todos os missionários. Que todos saibam, fomos abençoados sempre por Dom Paulo Evaristo.

Hoje no céu celebra a vida eterna com outros grandes amigos do Meac, Dom Lucas,Dom Helder Camara, Dom Luciano Mendes de Almeida, Dom Ivo e dom Aloísio Loscheiter outros irmãos nossos do meac que já partiram para a casa do Pai que admirava e amavam essas pessoas.

 

Obrigado Dom Paulo, obrigado a todos e por favor, intercedam por nós.

Antoninho Tatto