Assessores reafirmam compromisso em colaborar com textos da Questão Agrária e Diretório da Comunicação

No encontro ordinário dos assessores da CNBB para aprofundamento dos compromissos provenientes do serviço que prestam à Conferência foram apresentados os encaminhamentos de trabalho com os dois textos estudados pelos bispos na 51ª assembleia geral: Questão Agrária e Diretório da Comunicação. Padre Ari dos Reis, assessor da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz, fez um rápido relato sobre o percurso do material do texto sobre a Questão Agrária até chegar ao plenário da assembleia geral. Ele disse que já em 2010 o tema tinha sido apresentado aos bispos, mas naquele período não foi possível concluir a discussão. Uma questão que é sempre polêmica, mas que havia necessidade de ser reapresentada, segundo o assessor, por motivos muito sérios: a violência no campo não diminuiu; é preocupante o avanço do agronegócio e o apoio do governo para esse tipo de iniciativa econômica e a problemática ambiental. O último documento da Conferência sobre o tema é da década de 1980 e, desse modo, são quase 30 anos que a CNBB não se manifesta de forma mais extensa sobre a questão. Estudiosos foram convidados para colaborar com os bispos. O texto reelaborado, resultado do trabalho de dois anos atrás, foi enviado ao episcopado em dezembro do ano passado. Na assembleia, o texto foi apresentado e recebeu atenção e dedicação dos bispos que repassaram o texto integralmente e apresentaram suas observações. Agora, a comissão delegada pela assembleia terá um tempo até julho deste ano para acolher as contribuições e se espera reapresentá-lo na assembleia de 2014. O secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, disse “que é urgente termos um novo texto. Isso ficou evidente nas participações que os bispos fizeram no plenário da assembleia”. Por parte dos assessores ficou combinado que vão procurar acompanhar o processo e oferecer ajuda no sentido de melhorar a compreensão do texto por parte das comunidades dando contribuições para a melhoria da linguagem. Irmã Élide Fogolari e padre Clóvis Andrade, da Comissão Episcopal para a Comunicação, também fizeram considerações sobre o processo de trabalho com o texto do Diretório da Comunicação. Este material deve ser agora retomado pela comissão que, depois de melhorar também a linguagem da apresentação do texto será apreciado pelo Conselho Permanente que recebeu da assembleia a delegação para aprová-lo.

Compartilhar:

Compartilhar:

Mais conteúdo

CASA DA SOGRA

Não há como fugir da curiosidade que o título aqui desperta. Por experiência, definição, ironia, crítica ou mesmo rejeição, sabemos que a casa da sogra

DEMÔNIOS QUEREM NOS DESTRUIR

Tem gente que não acredita em Deus, mas teme os demônios. Tem gente que faz pacto com demônios, mas ignoram os pactos que Deus fez

AUDIÊNCIA GERAL 24/01/24

O texto a seguir inclui também as partes não lidas que são igualmente consideradas como pronunciadas: Catequeses. Os vícios e as virtudes. 5. A avareza

O TEMPO É AGORA

O grande desafio que o cristianismo propõe ao mundo é encarar a realidade do tempo presente. Seja este bom ou ruim, o fato é que

Enviar Mensagem