Bento XVI convida cristãos a serem testemunhas convictas e corajosas

Cidade do Vaticano (RV) – Ao meio-dia desta quarta-feira, Bento XVI assomou à janela de seus aposentos – que dá para a Praça São Pedro – para a oração do Angelus. A exemplo de Santo Estevão, “dar um testemunho convicto e corajoso”: foi o convite do Pontífice, na oração mariana, a todos os cristãos. “Primeiro mártir”, “homem cheio de graça”, o diácono Santo Estevão “operou, falou e morreu animado pelo Espírito Santo, testemunhando o amor de Cristo até o extremo sacrifício”, realizando plenamente – recordou Bento XVI – a promessa de Jesus àqueles “fiéis chamados a dar testemunho em circunstâncias difíceis e perigosas, não serão abandonados e indefesos”. Toda a vida de Santo Estevão “é inteiramente plasmada por Deus, conformada a Cristo”, e, como Ele, soube perdoar os seus inimigos: “Senhor – pediu no momento da morte –, não lhe impute este pecado”. “Deixar-se atrair por Cristo, como fez Santo Estevão, significa abrir a própria vida à luz que a evoca, a orienta e a faz percorrer o caminho do bem, o caminho de uma humanidade segundo o desígnio de amor de Deus.” Santo Estevão “modelo para todos aqueles que querem colocar-se a serviço da nova evangelização”. “Ele demonstra que a novidade do anúncio não consiste primariamente no uso de métodos ou técnicas originais, que certamente têm a sua utilidade, mas no ser repleto do Espírito Santo e deixar-se conduzir por Ele.” E, portanto, “a novidade do anúncio está na profundidade da imersão no mistério de Cristo, na assimilação da sua Palavra…” “Substancialmente, o evangelizador torna-se capaz de levar Cristo aos outros de modo eficaz quando vive de Cristo, quando a novidade do Evangelho se manifesta em sua própria vida.” Em seguida, o Papa fez uma invocação a Nossa Senhora: “Rezemos à Virgem Maria, a fim de que a Igreja, neste Ano da Fé, veja multiplicarem-se os homens e as mulheres que, como Santo Estevão, sabem dar um testemunho convicto e corajoso do Senhor Jesus.” Após a oração mariana, o Pontífice saudou, em várias línguas, os fiéis e peregrinos reunidos na Praça São Pedro e a todos desejou “uma boa festa, na luz e na paz do Natal do Senhor”. Eis o que disse na saudação aos fiéis e peregrinos de língua portuguesa: RealAudioMP3 “Com afeto, saúdo também os peregrinos de língua portuguesa, desejando que esta vinda a Roma encha de paz e alegria natalícia os vossos corações, com uma viva adesão a Cristo como fez Santo Estêvão: Confiai no seu poder, deixai agir a sua graça! De coração vos agradeço e abençoo.” O Santo Padre concedeu a todos a sua Bênção apostólica. (RL)

Compartilhar:

Compartilhar:

Mais conteúdo

É BOM ESTARMOS AQUI

Algo que dá sentido à vida humana é a compreensão de quanto esta é bela. Melhor ainda quando essa descoberta vem acompanhada por uma revelação

AMIZADE E FRATERNIDADE

Parece-me um tanto forçado o termo Amizade Social num contexto de fraternidade cristã. Porque a boa notícia que nos trouxe os Evangelhos é exatamente o

AUDIÊNCIA GERAL 14/02/24

O texto a seguir inclui também as partes não lidas que são igualmente consideradas como pronunciadas: Catequeses. Os vícios e as virtudes. 8. A acídia

 A CRENÇA NOS MILAGRES

É impressionante, mas bem antes de Jesus, desde sempre e até os dias atuais, basta um farfalhar, um burburinho qualquer anunciando milagres… lá está o

Enviar Mensagem