CNBB: “Validação do Ficha Limpa é presente para a sociedade brasileira”

A presidência da CNBB concedeu nesta quinta-feira, 16, uma entrevista coletiva sobre os temas discutidos no Conselho Episcopal Pastoral (Consep), nos dias 14, 15 e 16 de fevereiro. Participaram do encontro com a imprensa o Presidente da CNBB, Cardeal Raymundo Damasceno Assis, o vice-presidente, Dom José Belisário da Silva, e o secretário-geral, Dom Leonardo Ulrich Steiner. Os bispos falaram sobre a Lei da Ficha Limpa, cuja constitucionalidade foi aprovada nesta quinta-feira. A decisão torna inelegíveis por oito anos políticos cassados, que renunciaram ao mandato para fugir de processo de cassação e os condenados criminalmente por órgão colegiado, independente de o caso ter sido ou não julgado em última instância. Dom Damasceno destacou que a Lei da Ficha Limpa surgiu a partir de uma iniciativa popular, com o recolhimento de 1,5 milhão de assinaturas e que a CNBB foi uma das principais entidades que promoveram a coleta de assinaturas a favor da lei. “A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em considerar válida a lei será um presente à sociedade brasileira” – disse o presidente da CNBB, segundo o qual, “a aprovação da lei não deverá resolver todo o problema da corrupção, mas facilita a melhor escolha de políticos, mais preparados e qualificados”. Já o secretário-geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, que visitou aldeias e comunidades indígenas Guarani Kaiowá, na região sul do estado de Mato Grosso do Sul, falou à imprensa sobre a situação degradante em que vivem esses povos tradicionais. Dom Leonardo falou ainda sobre o uso e distribuição de camisinhas pelo Ministério da Saúde no período do carnaval. Para ele, esta política pública não é a mais adequada, e seria preciso veicular o sentido da sexualidade e da relação entre as pessoas. A respeito da atuação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que teve seus plenos poderes reconhecidos pela Suprema Corte do país no início do mês, o secretário-geral da CNBB afirmou que o STF prestou um serviço ao Brasil: “É mais uma vez o STF dando ao Brasil a oportunidade de ter instituições que ajudem a dar maior transparência também quanto à justiça. Quem ganhou com isso foi o próprio Supremo, foram os magistrados, e a sociedade brasileira” – afirmou.

Compartilhar:

Compartilhar:

Mais conteúdo

CASA DA SOGRA

Não há como fugir da curiosidade que o título aqui desperta. Por experiência, definição, ironia, crítica ou mesmo rejeição, sabemos que a casa da sogra

DEMÔNIOS QUEREM NOS DESTRUIR

Tem gente que não acredita em Deus, mas teme os demônios. Tem gente que faz pacto com demônios, mas ignoram os pactos que Deus fez

AUDIÊNCIA GERAL 24/01/24

O texto a seguir inclui também as partes não lidas que são igualmente consideradas como pronunciadas: Catequeses. Os vícios e as virtudes. 5. A avareza

O TEMPO É AGORA

O grande desafio que o cristianismo propõe ao mundo é encarar a realidade do tempo presente. Seja este bom ou ruim, o fato é que

Enviar Mensagem