Dia Mundial da Água

Cidade do Vaticano (RV) – Hoje se comemora o Dia Mundial da Água, criado na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento de 1992. A data é comemorada desde 22 de março de 1993. Entre as diversas atividades de comemoração e de protesto, o Fórum de Mudanças Climáticas informa que o Professor Altair Sales Barbosa, que estuda o bioma do cerrado há 40 anos, fará uma palestra sobre o tema “Os Rios que brotam do Cerrado, o berço das águas”. O evento será acessível a partir das 9h na seguinte página: http://www.livestream.com/caravideo. O cerrado é uma grande savana tropical, uma eco-região caracterizada por uma enorme biodiversidade de fauna e flora. Segundo o WWF, è a savana biologicamente mais rica no mundo. É ainda o segundo maior bioma brasileiro, estendendo-se por uma área de 2.045.064 km2, que abrange oito estados do Brasil Central: Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Bahia, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí e Distrito Federal. Cortado por três das maiores bacias hidrográficas da América do Sul, tem índices pluviométricos regulares que lhe propiciam sua grande biodiversidade. Altair Barbosa é professor titular da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) onde fundou o Instituto do Trópico Subúmido (ITS). Em exclusiva à RV o professor faz o seu chamado, neste Dia Mundial da Água: “Atualmente, acho que se devem suspender imediatamente todas as ações predatórias que contribuem para a diminuição dos aquíferos, pelo fato que se nós não atuarmos desta forma, daqui a um tempo muito mais curto do que podemos imaginar, não teremos águas suficientes para alimentar e abastecer todas as atividades econômicas e mesmo sanar a sede das populações que habitam na AM do Sul. O importante no momento é suspender estas ações predatórias, pois repor estes aqüíferos, que se vêm formando há milhões de anos, recarregá-los, é praticamente impossível. Com relação às famílias, elas têm um papel importante na socialização do homem, então, todos os grandes órgãos que contribuem para a socialização do homem deveriam dirigir mensagens específicas para que as famílias de hoje voltem a exercer seu papel educativo, de formação integral do cidadão. O cidadão integral, formado integralmente, é capaz de perceber os perigos que afetam todas as questões ambientais, mas só se for consciente como cidadão saberá lutar pelo direito de preservar não só a questão ambiental, mas preservar também sua qualidade de vida”.

Compartilhar:

Compartilhar:

Mais conteúdo

Enviar Mensagem