Papa Francisco não pensa em fazer mudanças doutrinárias na Igreja

Dom Orani João Tempesta A grande repercussão em torno da eleição do cardeal Bergoglio como primeiro papa latino-americano tem dado origem a muitas especulações em torno dos rumos de seu pontificado. Evidentemente que, ao assumir o nome Francisco, o papa já delineou algumas posturas que vem adotando e recomendando a toda a Igreja, a exemplo do grande santo de Assis. Para se compreender o percurso que ele vem traçando ao conduzir o imenso rebanho que lhe foi confiado, é fundamental conhecer o papel de são Francisco de Assis na Igreja. Aquele jovem, outrora rico e inconsequente, deu ao chamado do Senhor uma resposta fiel e generosa, que transformou definitivamente a sua vida, pautada a partir de então por simplicidade, humildade e pobreza. Além da vivência pessoal de um despojamento que pretendia imitar o próprio Cristo, são Francisco de Assis recebeu do Senhor a missão de legar à Igreja este modelo, começando pela formação de uma comunidade à qual se foi agregando um número cada vez maior de seguidores, que ainda hoje continuam se multiplicando, sob variadas formas de vida consagrada e apostolado. Joel Rodrigues/Frame/Estadão Conteúdo Ao assumir o nome Francisco, o papa já delineou algumas posturas que vem adotando e recomendando a toda a Igreja Dom Orani João Tempesta, arcebispo metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, sobre a postura do Papa Assim, podemos constatar que tantos e tamanhos frutos, nascidos da vocação de um só homem, são obras de Deus que perduram até os nossos dias, e agora repercutem no pastoreio universal da própria Igreja através do papa Francisco. Nosso sumo pontífice instaura, em nível eclesial, a dinâmica própria da vida de espiritualidade, que consiste no autoconhecimento para suscitar as mudanças necessárias ao aperfeiçoamento e, a partir daí, o compromisso com a missão. Sob o papado de Francisco promove-se intensamente a tomada de consciência pessoal, comunitária e institucional na Igreja Católica em busca de uma profunda conversão e retomada de maior radicalidade no seguimento dos valores evangélicos. Entretanto, ao contrário de certas expectativas alarmistas daqueles que estão sempre à procura das novidades, o papa não cogita promover mudanças doutrinárias, o que estaria em contradição com aquilo que chamamos o “depósito da fé”, do qual ele é o primeiro defensor por conta do próprio ministério que exerce. Papa Francisco tem se mostrado o grande anunciador da misericórdia – pelos pobres, carentes e marginalizados sob as mais diversas formas. Para essa feição tão característica do seu pontificado certamente contribui a experiência concreta das desigualdades e injustiças que o povo latino-americano compartilha ao longo de sua história. Sua presença como liderança mundial já se destacou na preocupação com a paz, a justiça social, a inclusão dos refugiados e a preocupação com uma economia que não leva em consideração a pessoa Dom Orani João Tempesta, arcebispo metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, sobre as características do papa Francisco

Compartilhar:

Compartilhar:

Mais conteúdo

Enviar Mensagem