Papa recebe atletas paraolimpicos

Cidade do Vaticano (RV) – Bento XVI recebeu em audiência, nesta segunda-feira, no Vaticano, a delegação italiana nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos realizados em Londres, este ano. Os atletas apresentaram ao Papa suas medalhas e o pontífice lhes disse que “o esporte é um bem educacional e cultural que ajuda o ser humano a entender o valor profundo de sua vida”. “Toda atividade esportiva, amadora ou competitiva, requer lealdade na competição, o respeito pelo próprio corpo, o sentido de solidariedade, altruísmo, alegria, satisfação e festa. Tudo isso pressupõe um autêntico caminho de amadurecimento humano, feito de renúncia, tenacidade, paciência e humildade” – frisou Bento XVI em seu discurso aos atletas. O Papa recordou que o Concílio Vaticano II salientou a cultura do esporte fundamentada na primazia da pessoa humana, um esporte a serviço da pessoa e não a pessoa a serviço do esporte. “A Igreja se interessa pelo esporte porque tem em seu coração o ser humano e reconhece que toda atividade esportiva incide na educação, na formação da pessoa, nas relações e espiritualidade” – disse ainda o Santo Padre. O pontífice citou como exemplo a presença de espaços esportivos nas paróquias e associações de inspiração cristã e frisou que o atleta que vive integralmente sua existência está atento ao projeto de Deus em sua vida. O Papa convidou os atletas a cumprirem sua missão de campeões e testemunhas: “A pressão de obter resultados não deve impelir a buscar caminhos como o doping. O mesmo espírito de grupo deve servir de impulso para evitar esses becos sem saída e apoiar quem errou para que se sinta acolhido e ajudado.” Por outro lado, o esporte educa para a competição espiritual, um objetivo ainda mais importante neste Ano da Fé. Todos os dias os atletas são chamados a fazer com que o bem vença sobre o mal, a verdade sobre a mentira, o amor sobre o ódio: “Pensando no compromisso da Nova Evangelização, o mundo do esporte pode ser também considerado um moderno pátio dos gentios, ou seja, uma oportunidade preciosa de encontro aberto aos que crêem e aos que não crêem onde se experimenta a alegria e também a fadiga de se confrontar com pessoas de diferentes culturas, raças e religiões” – sublinhou Bento XVI. O Papa concluiu seu discurso recordando a figura do Beato Pier Giorgio Frassati, jovem que unia a paixão pelo esporte e a paixão por Deus. (MJ)

Compartilhar:

Compartilhar:

Mais conteúdo

Enviar Mensagem