Os Bispos de Guiné-Bissau e o Dízimo

Comunicado às Paroquias e Missões das Dioceses de Bissau e Bafatá Os Bispos da Guiné-Bissau, Dom José Câmnate Na Bissign, Dom Pedro Carlos Zilli e Dom José Lampra Cá, para aprofundar a reflexão sobre o caminho da Igreja da Guiné-Bissau no seu serviço ao povo deste Pais, como também atender às orientações da Nunciatura Apostólica e da Conferência Episcopal, da qual fazem parte, reuniram-se, no Centro de Espiritualidade de N’Dame nos dias 21 e 22 de Maio. As perguntas “como evangelizar hoje a Guiné-Bissau?” e “quais são os desafios no nosso caminho de evangelização?”, motivaram a reflexão dos Bispos. Manifestaram todo o seu regozijo e agradecimento a Deus pelo aumento de batizados, de comunidades cristãs que crescem continuamente, dos jovens e adultos que se casam pela Igreja, do aumento os sacerdotes locais, dos consagrados, das consagradas. Sublinharam que as igrejas são cada vez mais insuficientes para conter tão grande número de participantes nas celebrações. Ao mesmo tempo, mostraram-se preocupados pela urgente necessidade do aprofundamento da fé em Jesus Cristo “único Salvador do mundo”(Porta Fidei); a necessidade de uma fé alimentada pela Palavra de Deus lida e meditada; a necessidade de uma fé que leve a um maior empenho eclesial, social e politico; a necessidade de interiorizar o sentido de pertença à Igreja, despertar e fortalecer a dimensão missionária da fé de cada cristão. Os Bispos enfatizaram a importância da formação sempre mais intensa dos sacerdotes diocesanos, através de alguns documentos eclesiais específico para que continuem a aprofundar sua identidade, espiritualidade e missão. Reiteraram a importância da Pastoral do Dizimo; regozijaram-se com os trabalhos já realizados, neste âmbito, que demonstram a fé no Deus providente, o sentido de pertença eclesial e o desejo de não suspender atividades pastorais por falta de meios financeiros. Manifestaram a vontade de ver nossa Igreja sempre mais apta a servir-se dos meios de comunicação social para anunciar o Evangelho e difundir a Doutrina Social da Igreja, propondo a descoberta contínua dos verdadeiros valores que dignificam uma pessoa, um povo, uma Nação. Sublinharam que a Guiné-Bissau está a passar por momentos muito difíceis marcados por crises profundas. Realçaram que a Igreja da Guiné-Bissau tem o dever moral de empenhar-se em dar à sociedade quadros que, fundados nos valores evangélicos, sejam qualificados para a gestão da coisa pública, de maneira a encontrarem soluções para o Pais. É neste contexto que se inserem os esforços para a criação da Universidade Católica. Falaram da viagem de Dom Pedro Zilli e Dom José Lampra Cá para a JMJ 2013 e dos contatos já programados com a CNBB (Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e algumas dioceses de Brasil com as quais já existem experiencias de colaboração. Os objetivos destes contactos é estabelecer parcerias relativamente à Universidade Católica, intensificar a vinda de professores para o Seminário Maior, pedir bolsas de estudos para sacerdotes guineenses e solicitar sacerdotes Fidei Donum para a Guiné-Bissau. No contexto do Ano da Fé, o encontro foi permeado pelos momentos de oração e da celebração da Santa Eucaristia. Os Bispos agradeceram a Deus pela oportunidade de se encontrarem e partilhar preocupações sobre a vida da Igreja e do Pais. Invocaram as bênçãos de Deus para que nossa Igreja possa continuar a ser fiel à sua missão, particularmente na tarefa da reconciliação, da justiça e da paz. Nas suas orações, os Bispos pediram ao Senhor para que aumente em todos nós, cristãos, a fé. Os Bispos agradeceram a Deus pelos sacerdotes, consagrados/as, catequistas e demais agentes de Pastoral que não poupam esforços para a edificação do Reino de Deus. Agradeceram ao Senhor pela ordenação do novo Bispo de Thiés, Senegal, Dom André Gueye, dia 25 de Maio (novo membro da Conferencia Episcopal Inter-territorial do Senegal, Mauritânia, Cabo Verde e Guiné-Bissau) e pela nomeação de Dom Manuel Clemente, Bispo do Porto, para Patriarca de Lisboa, Igreja Lusófona irmã. Que o Senhor os abençoe nesta nova missão que lhes é confiada. No fim dos trabalhos, agradeceram ao Centro de Espiritualidade de N’Dame pelo bom acolhimento a eles reservado e por tudo aquilo que, há anos, faz pelo rejuvenescimento espiritual da Igreja da Guiné.

Compartilhar:

Compartilhar:

Mais conteúdo

AUDIÊNCIA GERAL 28/02/24

O texto a seguir inclui também as partes não lidas que são igualmente consideradas como pronunciadas: Catequeses. Os vícios e as virtudes. 9. A inveja

É BOM ESTARMOS AQUI

Algo que dá sentido à vida humana é a compreensão de quanto esta é bela. Melhor ainda quando essa descoberta vem acompanhada por uma revelação

AMIZADE E FRATERNIDADE

Parece-me um tanto forçado o termo Amizade Social num contexto de fraternidade cristã. Porque a boa notícia que nos trouxe os Evangelhos é exatamente o

AUDIÊNCIA GERAL 14/02/24

O texto a seguir inclui também as partes não lidas que são igualmente consideradas como pronunciadas: Catequeses. Os vícios e as virtudes. 8. A acídia

Enviar Mensagem